Desabafos

segunda-feira, maio 29, 2006

Na ponte aérea

Madrugada de domingo pra segunda :mais que natural, não prego os olhos. voltar à realidade aumenta mais que o comum a tal da insônia.

Com olhos de ressaca, como diria Machado, levanto e termino de guardar as coisas. Prendo o cabelo - sem saco pra pentear, tomo um copo de leite, escovo os dentes e vou-me.

Lágrimas nos olhos, já sabendo o que me aguarda. Segurando e engolindo o choro, tal qual você mandou. Obediente, eu.

Aí, dá uma pane no sistema e nos separamos. Eu meio que me desespero, porque uma coisa é desabar entre amigos, outra completamente diferente é desabar entre estranhos. E eu ia desabar mesmo assim. Eu já sabia, todo mundo sabia, era só olhar pra mim.
Viro e lá está você: o moço gentil da loja. Você nem sabe, nem faz idéia e provavelmente - ou não- nunca vai saber o anjo que você foi.

Deixou eu tagarelar e trocar umas idéias e desabafar durante o vôo e, simples assim, acabei não desabando. Apesar de você ser melhor ouvinte que orador, me salvou. Rimos, conversamos, discutimos, você pediu para eu continuar a falar quando eu parei - sinal de que estava gostando da conversa - e nisso a viagem acabou.

E quando eu me dei conta disso, tive vontade de te dar um abraço bem apertado, daqueles que a gente só dá em grandes amigos que a gente sente muita falta. Porque você me salvou, realmente.Imagina a cena:eu, entre dois desconhecidos, chorando de soluçar, compulsiva e desesperadamente? Sim, porque eu sabia que ia ser assim, como tem sido sempre que eu volto à realidade.

E você, mesmo que praticamente como ouvinte, me fez rir, me fez pensar em coisas boas, me fez até questionar opções que já haviam sido descartadas.

E de quebra, você é um gatinho. Não poderia ter sentado por acaso num lugar melhor.

Obrigada, anjo. Você nem sabe o quanto aqueles 55 minutos passaram rápidos e me fizeram mutíssimo bem.

Como você disse: espero sinceramente que este não seja o último encontro e que eles não se limitem a pontes aéreas.

4 Comments:

  • At maio 30, 2006 3:42 PM, Anonymous line said…

    esqueceram de te avisar que onde vc estava antes tb fazia parte da realidade...


    tá vendo como ela nem é tão dura?

    "Basta querer e desejar bem fundo."

    bjos
    ;***

    (ahhh, e anjo é o meu Rodrigo. hehehe)

     
  • At maio 31, 2006 4:02 AM, Anonymous Artur Malheiros said…

    O amor eh uma batalha sem herois –
    Trava-se na cama.
    E a guerra se perde na vertigem dos olhares.

     
  • At maio 31, 2006 2:53 PM, Blogger m. said…

    os meus estranhos nem são tão legais. caso eu chore, acho que o que rola é pedra na moleira. :~~~

     
  • At julho 22, 2006 2:14 PM, Anonymous Anônimo said…

    I say briefly: Best! Useful information. Good job guys.
    »

     

Postar um comentário

<< Home