Desabafos

quarta-feira, maio 31, 2006

Vai saber...

É, fechou. Eu sou louca mesmo. Completamente, sem dúvida.
Eu reclamo se tu me dá notícias; aliás, reclamo não, faço um escândalo, choro, te xingo, faço um verdadeiro estardalhaço. Te odeio, pra falar a verdade. Por que isso? Por que agora? Por que você não sabe o que quer? É tão difícil assim se decidir?

Você me quer por perto, mas não me quer por inteiro. O que você quer, então? Porque eu quero você por inteiro, com todas as suas qualidades e defeitos, com tudo aquilo que você faz só pra irritar, com tudo aquilo que você me faz só pra eu te amar mais e mais.

E assim, vou pirando. A cada dia. Longe ou perto de você, vou pirando. Total, completa e enlouquecidamente.


Aí passa um tempo (tempo, leia-se, 1 semana) e eu começo a me perguntar por onde você anda, o que está fazendo, se ainda pensa em mim, se sente minha falta, se se preocupa, se gostaria de me abraçar bem forte, se ainda lembra que eu existo.

Ta, lógico que lembra. Mas eu queria saber se lembra do jeito que eu lembro, do jeito que eu gostaria que lembrasse.


Você olha pra mim, as duas bêbadas – para definir um pouco da situação – e diz que você não é homem pra mim, que você é um fraco e que eu, por estar chorando por você, sou ainda mais fraca. Porque se você não fosse fraco, não teria me abandonado, não teria feito o que fez, da maneira que fez; porque se você não fosse fraco, estaria ao meu lado, mesmo em silêncio, me acalentando, tentando me acalmar. Eu sou humana, pô!


Porque se você não fosse fraco, você teria agüentado. É difícil. Acredite, eu sei. Alas, nem preciso pedir: você sabe melhor que ninguém que eu sei. Mas é possível. Muito difícil, desgastante, faz você se sentir impotente, um nada, um merda na vida de alguém, mas é possível, sim ajudar. Aos poucos, sem forçar. Mas é possível e é isso o que importa. Você não consegue me ajudar nem como amigo. Mas isso tem outra razão de ser.

E não tô bem. E você é um dos poucos que sabe disso como ninguém. E por isso eu corro pra você. Mania feia, essa. E eu quero tanto você do meu lado, mas tanto...E você é o único que tem que permanecer longe, bem longe, pra doer o menos possível. Porque vai doer aqui ou em qualquer lugar do mundo, isso já foi mais do que constatado.


E mesmo assim, quero estar perto de você. Eu não aprendo mesmo, péssima aluna. Vou repetir de ano, se continuar assim. Você deixa bem claro o que você NÃO quer e eu, ainda assim, (in)consciente, espero. Espero que você vire um homem um dia. Ainda que não o meu.

Enquanto você não se transformar nesse homem que eu sei que existe e que já esteve ao meu lado inúmeras vezes, você não vai conseguir ser feliz nesse aspecto. Veja bem: NESSE ASPECTO. Porque NÃO se pode depositar toda a felicidade de sua vida em apenas uma das coisas que nos deixam felizes. E esse foi o seu erro. Talvez tenha sido o meu também.

Vai saber...
p.s.:não tô te julgando. cada um é cada um. e eu sei que é foda. muito. te amo. ad infinitum kissó. pra sempre.

5 Comments:

  • At maio 31, 2006 3:00 PM, Blogger m. said…

    acho que o grande segredo disso tudo, e de grande parte de todas as outras situações de vida, é tentar transformar o sentimento.

    comigo deu certo, certa vez. tô tentando pela segunda. fé e força; é o que dizem.

    e o que ficou foi um misto de saudade e amargura, mas que valeu que só.

    fica bem.

    p.s.: tu não é louca, não. nem se preocupa.

     
  • At junho 02, 2006 4:03 PM, Anonymous Milli said…

    monica, amadissima, precisamos conversar.. quero tanto saber tudo de você.. tanta coisa, né? minhas também.. precisamos sair.. sério. beijo!

     
  • At junho 04, 2006 3:29 PM, Anonymous Artur Malheiros said…

    Ah!!! Vamo atualizar isso aqui que eu fiquei viciado! Beijos, amor de meu amor...

     
  • At junho 08, 2006 6:22 AM, Anonymous Anônimo said…

    I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
    »

     
  • At julho 22, 2006 2:14 PM, Anonymous Anônimo said…

    Nice! Where you get this guestbook? I want the same script.. Awesome content. thankyou.
    »

     

Postar um comentário

<< Home